sábado, 22 de novembro de 2014

Resenha-Jogos Vorazes (parte 1)

Finalmente depois um bom tempo voltei e com uma super resenha para vocês! Mas antes saibam que preferi dividir a resenha em partes para que não fique muito grande e cheia de textos por que afinal pretendo resenhar a triologia. Mas sem mais delongas vamos a resenha!

Ficha Técnica:
Autor: Suzanne Collins
Editora: Rocco
Páginas: 397
ISBN: 9788579800245
Nota: 9








Sinopse: Após o fim da América do Norte, uma nova nação chamada Panem surge. Formada por doze distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital. Uma das formas com que demonstram seu poder sobre o resto do carente país é com Jogos Vorazes, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de doze a dezoito anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte! Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Peeta, um garoto que ajudou sua família no passado, também foi selecionado. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos Jogos Vorazes?"

Ambientado num futuro distópico, Jogos vorazes é pioneiro de uma tendência que vem ganhando força no mercado de bestsellers juvenis: a dos romances distópicos e pós-apocalípticos. Primeiro volume de uma trilogia, o livro narra uma nação construída sobre as ruínas de um lugar anteriormente conhecido como América do Norte que para mostrar seu poder perante os distritos criou os Jogos Vorazes onde jovens de 12 a 18 anos se enfrentam em uma arena até a morte.



A Capital é cercada de 12 distritos periféricos, a nação de Panem se ergueu após a destruição dos Estados Unidos. Como punição participarem da rebelião contra a capital, a cada ano os distritos são forçados a enviar um menino e uma menina entre 12 a 18 anos para participar dos Jogos Vorazes. As regras são simples: os 24 tributos, são levados a uma gigantesca arena e devem lutar entre si até só restar um sobrevivente. O vitorioso, além da glória, leva grandes vantagens para o seu distrito.


A cada vez que uma página é foleada o livro fica cada vez mais viciante, mas uma coisa que Suzanne Collins poderia ter focado além de Katniss, é na capital Panem e seus distritos com seu futuro distópico o livro se tornaria mais interessante lembrando um pouco uma temática cyberpunk. O livro é cheio de críticas a sociedade temas como o padrão que a sociedade exige, fome, poder e vários outros são mencionados no livro com uma narrativa totalmente fluída.

A trama me fez lembrar o anime Dead Man Wonderland, onde os presidiários eram submetidos a participar de jogos sangrentos e torturantes que eram transmitidos para todo o pais e toda a população que se divertia assistindo. E é claro os gladiadores no Coliseu da Roma Antiga servindo de entretenimento para o povo. Em diversas mídias esse tipo de assunto apareceu, já aconteceu na Idade Antiga, poderia acontecer novamente? Well, melhor deixar esse tipo de coisa nos livros e filmes, pois é como um apocalipse zumbi quem gosta de cultura pop adoraria velos na realidade mas será que sobreviveriam ao caos?



Filme:


Bem como todo livro que tem seu sucesso surgem adaptações para o cinema, muito diferente de outros filmes adaptados, Jogos Vorazes segue coerente em relação ao livro é claro com algumas mudanças para as telonas, mas não deixa de ser um bom filme. Uma coisa que não gostei do filme em relação o livro, foi como colocaram Katniss. No filme, ela passa um ar de inocente, fraca. No livro ela é completamente o oposto, ela é forte e lutadora. E é isso que gera a revolta dos outros distritos, tema dos próximos dois livros (resenha em breve aqui). 

Por ultimo confira um pequeno trecho da entrevista de Suzanne Collins a revista Time sobre sua motivação para escrever o livro:
"Suzanne, por que escrever um livro como esse? Por que escrever um livro sobre guerra e violência para adolescentes? Por que é importante que eles saibam sobre isso?
Suzanne Collins: "Jogos Vorazes é parte de uma meta maior que eu tenho, a qual é escrever uma história de guerra apropriada para cada época da infância, o que eu meio que completei em setembro quando eu lancei um livro ilustrado chamado Year of the Jungle. É uma autobiografia sobre o ano em que meu pai esteve no Vietnã e é uma história doméstica. Sou eu, minha família, os cartões portais que ele mandou, a minha imaginação sobre aquilo – não tem nada de ficção.



O primeiro que eu fiz foi a parte dos leitores de 9 a 14 anos, que foi As Crônicas do Subterrâneo: Gregor, o Guerreiro da Superfície. E depois Jogos Vorazes foi para os jovens adultos. Meu pai foi um militar. Ele era um veterano, um doutor em ciência política, ele lecionou em West Point e na Faculdade de Comando da Força Aérea e palestrou na Faculdade de Guerra. E quando ele voltou do Vietnã, eu tinha provavelmente 6 anos, e ele, eu acho, sentiu que era sua responsabilidade se certificar de que todas as suas crianças tivessem um conhecimento sobre a guerra, sobre o seu custo, suas consequências.


Então eu senti que eu fui meio que educada nesse assunto por alguém que tinha bastante experiência, tanto na vida real como historicamente. E se eu pegasse os 40 anos de meu pai falando pra mim sobre guerra e batalhas e me levando a campos de batalhas e compactasse-os em uma pergunta, ela provavelmente seria sobre a ideia da guerra necessária ou desnecessária. Esse é bem o coração disso.



O livro ilustrado é realmente só uma introdução à ideia de guerra, porque foi aos 6 anos que eu descobri o que ela era. As Crônicas do Subterrâneo, meio que se adiantando em sofisticação, é sobre a guerra desnecessária. As Crônicas do Subterrâneo é uma guerra desnecessária por um tempo bastante longo até se tornar uma guerra necessária, porque houveram esses períodos em que as pessoas poderiam ter pulado pra fora do trem, mas elas não o fizeram, elas simplesmente continuaram a motivar a violência até que ela ficou fora do controle. Em Jogos Vorazes, de acordo com a maioria das pessoas, em termos de rebelião ou de uma situação de guerra civil, esses seriam os critérios para uma guerra necessária. Essas pessoas estão oprimidas, seus filhos estão sendo retirados delas e colocados em jogos de gladiadores. Eles estão empobrecidos, eles estão com fome, eles estão bestificados. Essa seria, para a maioria das pessoas, uma situação aceitável para uma rebelião.



E então o que acontece é uma reviravolta por conta própria. Se você olhar para as arenas como guerras ou batalhas individuais, você começa com a primeira e você tem um bem clássico jogo de gladiador. Com relação à segunda, ela evoluiu para o palco da rebelião, porque a arena é o único lugar em que todos os distritos, que não podem se comunicar uns com os outros, se reúnem; é o único lugar que eles podem todos assistir juntos. Então é onde a rebelião explode.
E então a terceira arena é a Capital, a qual agora se tornou uma verdadeira guerra. Mas nesse processo de se tornar uma verdadeira guerra, no processo de se tornar uma rebelião, eles agora fizeram uma cópia da arena original. Então é cíclico, e esse é o ciclo de violência que nos parece impossível de quebrar"[...]


Por fim é isso espero que tenham gostado!

"Que a sorte esteja sempre a seu favor.”
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
Comentário(s)
10 Comentário(s)

10 comentários:

  1. Eu viciei mtooo em jogos vorazes hahaha
    qndo lançou o primeiro filme, eu ainda tava morando em Portugal e lá traduziram como "Jogos da Fome", aí nao me cativou tanto hahahaha qndo eu voltei achei q Jogos Vorazes era outra coisa e resolvi dar uma chance, hj eu ja li todos os livros, soh nao vi o ultimo filme ainda pq aki na cidade onde eu estudo nao tem cinema decente hahahaha
    mas eu gostei de ser em primeira pessoa o livro, da mais ansiedade de descobrir tudo o q acontece junto com a protagonista! :P

    beijaaão!
    http://www.klaryan.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas o que Jogos da Fome? kkkkkkkkkk mas gente que bom que tenha gostado :)

      Excluir
  2. Oie!
    Eu nunca tinha dado taanta atenção para a trilogia Jogos Vorazes; Morro de curiosidade de ler os livros, mas ainda não tinha assistido as adaptações já lançadas. Sexta feira meu namorado me fez assistir Jogos Vorazes e ontem assistimos Em Chamas. E nossa, to exalando de curiosidade para conferir os detalhes presentes na obras e poder fazer as comparações entre livro vs filme. Espero que seja em breve! :p

    Mil beijos e uma maravilhosa semana ;)
    Blog Procurei em Sonhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No meu caso eu comprei a box e deixei parada em um canto não dei muita importância, mas depois de muitos me recomendarem comecei a ler e to amando :3

      Excluir
  3. Olá.
    Adorei a resenha, muito boa.
    Eu adoro a trilogia, já li os três livros e sou apaixonada nos personagens e na autora.
    To esperando ansiosa para assistir A Esperança Parte 1 no cinema... o/

    Beijos
    Carolina
    http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ainda não assisti mas também não vejo a hora, espero que seja uma boa adaptação.

      \o haha

      Excluir
  4. Ótima resenha!
    Eu não sou fã de JV
    Beijos

    http://meninade22.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, eu não sou aquela fã fanática mas curto :)

      Excluir
  5. Oi, tudo bem?
    Já li Jogos Vorazes há bastante tempo até, e também já li várias resenhas sobre a triologia depois disso. O que eu mais gostei do seu post foi falar sobre a Suzanne Collins. Eu nem tinha noção dessa história particular dela com a guerra e o pai. Achei bem interessante que você tenha destacado esse ponto,

    Leitores Forever

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem eu achei melhor pesquisar sobre ela e mostrar suas motivações para fazer o livro, achei muito interessante a história dela e resolvi colocar no post. Muito obrigada que bom que tenha gostado!
      Abraços

      Excluir